Estamos completamente dependentes dos computadores, isso não se aplica apenas no mundo do DJ. Se você pensa em produzir algo em matéria de música, sem computador é praticamente impossível, ou muito caro. Será que algum dia os softwares farão o trabalho do DJ? Será que estamos perto de ver isso acontecer? Confira...

Os DJs já dependem muito de computadores e dados de várias fontes, mas até você ter um computador que possa escanear uma sala e ler a vibração das pessoas, o elemento humano não pode ser substituído sem causar problemas.

Já esteve em um bar ou salão com uma jukebox? Só porque um cara tem uma sala e quer ouvir uma coisa durante toda a noite, não significa que todos os outros façam. Da mesma forma com os DJs, se apenas um cara está chegando e me dizendo "você tem que tocar isso, todo mundo ama isso", se não houver nenhuma reação do resto da sala, você tenta outra coisa.

Se você conseguir uma reação, tudo bem. Você brinca com o gênero, se você sentiu que está no ponto, mantém por mais cinco músicas, as pessoas precisam respirar, algumas pessoas podem querer um ritmo mais lento e assim por diante.

Os computadores são tão bons quanto a sua capacidade de trabalhar com eles. Ainda está longe dos computadores sentirem a vibe das pessoas em uma performance ao vivo.

Computadores Dominarão o Mercado DJ?

Sim e não.

No nível mais baixo, pode tornar-se cada vez mais comum para bares e clubes tocar conjuntos de DJ pré-mixados, ou ter um sistema de jukebox baseado em computador para tocar combinações de músicas mixadas e incorporar pedidos em uma mix perfeita.

Isso já está acontecendo e não há como interromper.

No entanto, no mais alto nível, não há como substituir o DJ. Ninguém vai a um festival para ver um palco vazio.

Porém o computador pode influenciar na necessidade de os DJs serem também produtores.

As pessoas vão ver o DJ Calvin Harris, não por causa de suas incríveis habilidades de DJ, mas por causa de seu vasto catálogo de músicas de sucesso.

Os Robôs não têm músicas de sucesso. Então você não pode substituir Artistas / DJs por computadores.

Por outro lado, para aqueles que não estiverem criando músicas originais, talvez a arte do DJ esteja chegando ao fim.

Sim, sempre haverá um lugar para um Turntablista prolífico como A-Trak. Mas as oportunidades para eles são muito menores e diminuem todos os dias.

Infelizmente, a maioria das empresas não consegue ver o valor na contratação de um DJ invés de uma Jukebox. E aqueles que tendem a procurar o promotor que faz DJ. Ou o estudante da faculdade que vai tocar de graça. Ao invés do DJ que é mestre no seu ofício.

Então, os computadores matarão os DJs?

Não.

Mas eles tornarão o mercado incrivelmente competitivo.

E isso é maravilhoso.

Porque significa que a próxima geração de DJs será muito mais talentosa do que qualquer outra antes vista.

Se você ama a arte do DJ, você deve abraçar essa mudança e permitir que ela motive você a chegar ao topo do seu jogo.

Se você não pode impedir a mudança. Então, capitalize-a.